• Cristiano Moreira

A hora e a vez do livro no médio vale




Tomamos como marco simbólico o dia do professor, 15 de outubro de 2020, para darmos início a uma jornada rumo a construção dos Planos do livro, leitura, literatura e bibliotecas (PMLLLB) de 11 municípios integrantes do Consórcio Intermunicipal do médio vale do Itajaí – CIMVI. Trata-se de gesto de coragem e crença de que através do incentivo a cadeia produtiva do livro podemos melhorar ainda mais a região do médio vale. Região turística por excelência habituada ao trânsito das narrativas de viajantes terá, com estes planos implantados, um dispositivo potente para fortalecer as narrativas das comunidades repletas de histórias que seduzem tantos viajantes.

A política pública para o livro possui uma longa história no Brasil que tem início nos anos 30 durante o primeiro governo de Getúlio Vargas. Neste período, o então Ministro da Saúde e Educação, Sr. Gustavo Capanema criou o Instituto Nacional do Livro (INL) para um programa de criação de bibliotecas públicas e aquecimento do mercado editorial.

Os Planos Nacionais do Livro e Leitura resultou de uma ação conjunta do Ministério da Cultura (MinC) e do Ministério da Educação (MEC), o Plano Nacional do Livro e Leitura –PNLL foi criado por meio da portaria interministerial nº 1.442, de 10 de agosto de 2006 assinada pelos então ministros Gilberto Gil (Cultura) e Fernando Haddad (educação). A presidenta Dilma Roussef assim o Decreto 7.559 de 01 de setembro 2011 – que institui os PNLL.

Em nossa região o setor do livro necessita ser desenvolvido prioritariamente porque tange diretamente a educação. O livro precisa ser redescoberto por estudantes e professores e em segundo momento pela sociedade de forma mais ampla. Para tanto é fundamental um trabalho rigoroso, corajoso e de investimentos sérios para ativar essa cadeia produtiva. Cadeia produtiva tanto no campo simbólico, quanto no aspecto econômico.

Será elaborado um diagnóstico inicial para sabermos como está o panorama destes seguimentos em cada cidade. Depois desta pesquisa feita, é importante a formação de um grupo de trabalho ou um fórum permanente para dirigir as ações do PMLLLB e coleta de dados em consulta pública para elaboração da primeira minuta do plano contemplando os quatro eixos:

Eixo 1 –Democratização do acesso (privilégio às bibliotecas de acesso público).

Eixo 2 –Fomento à leitura e à formação de mediadores (reconhecimento da necessidade de fomentadores que ajudam a criar novos leitores).

Eixo 3 –Valorização da leitura e da comunicação (trabalhar o livro como valor social e cultural e como bem público a se preservar como direito de cidadania).

Eixo 4 –Desenvolvimento da economia do livro (não separar a leitura de sua base material –o livro em seus vários suportes –e entender essa base como parte de uma economia da cultura que deve ser apoiada e defendida).

6 visualizações

Papaterra editora e produções culturais

Rua Germano Depinè, 717 - Gávea - Rodeio - SC - Fone: 47-33330751 / 47 - 984552533 / 47-92316752